top of page
Livro de capa dura

Costa Cruzeiros almeja operar com zero emissão de carbono até 2050.

O Costa Esmeralda é o primeiro navio da Costa movido a Gás Natural Liquefeito (NGL).

A Costa Cruzeiros divulgou a 16ª edição do seu Relatório de Sustentabilidade, referente ao ano de 2021. Intitulado “The Good Power of Travel", o documento revela estratégias voltadas a ações sustentáveis, com foco em quatro prioridades: avançar para a neutralidade climática, regenerar recursos, capacitar pessoas e construir um ecossistema transformador.


"Esta é a décima sexta edição do nosso relatório de sustentabilidade, um número que atesta nosso compromisso consolidado e pioneiro com esse tema. O ano de 2021 foi marcado por uma profunda evolução da Costa. Trabalhamos para oferecer uma nova forma de viajar e um proposta de valor do produto, que encontra na sustentabilidade um ativo diferenciador”, afirma o presidente da Costa Cruzeiros, Mario Zanetti.


“Nosso trabalho continuará nos próximos anos com uma estratégia que foca no poder transformador das viagens, como indica o título do novo relatório. Esse é um modelo de negócio capaz de gerar valor social, ambiental e econômico, e continuarmos superando consistentemente as expectativas dos hóspedes”, complementa Zanetti.


O relatório está em concordância com a Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - ODS da ONU, e foi elaborado após cuidadosa análise dos compromissos ESG (Governança ambiental, social e corporativa),


No que diz respeito à neutralidade climática, o objetivo da Costa é introduzir uma nova geração de navios que possam operar com zero emissão de carbono até 2050. A empresa também está trabalhando para melhorar ainda mais a eficiência energética de sua frota existente e apoiar a inovação na infraestrutura portuária.


Parte desse compromisso inclui: a estreia dos primeiros navios movidos a gás natural liquefeito (Costa Toscana e Costa Smeralda), a instalação de avançados sistemas de corte de emissões em mais de 90% dos navios e a adequação de um terço da frota - com mais cinco navios em desenvolvimento - com equipamentos específicos para o chamado “shore power”, ou seja, o abastecimento em terra via energia costeira durante as paradas nos portos.


Em relação à regeneração de recursos e à preservação dos ecossistemas marinhos, a coleta seletiva e a reciclagem de 100% de materiais como plástico, papel, vidro e alumínio já são realizadas em todos os navios. Além disso, 90% das necessidades diárias de água são atendidas por meio da dessalinização da água do mar. Nos navios mais modernos da frota, este número chega a 100%.


A terceira área estratégica tem como foco a capacitação das pessoas. O objetivo da Costa é conscientizar os hóspedes para que sejam viajantes cada vez mais responsáveis em suas escolhas, enquanto para os colaboradores o objetivo é promover um ambiente de trabalho justo e inclusivo, potencializando suas competências.


No ano passado, foram mais de 774 mil horas de trabalho inteligentes e quase 120 mil horas de treinamento, considerando uma comunidade de funcionários de 70 países em cinco continentes.


Por fim, a última área estratégica para a construção de um ecossistema transformador diz respeito ao valor gerado nos territórios e comunidades que acolhem os navios da Costa. Somente em 2021, com navios operando apenas no Mediterrâneo por um período reduzido do ano, os navios da Costa visitaram 31 portos, com 17 itinerários diferentes, movimentando um ecossistema que inclui cerca de 16 mil fornecedores.


Uma parte essencial do compromisso da Costa com as pessoas e o planeta é expressa por meio dos projetos de alto impacto da Fundação Costa Crociere, uma organização independente sem fins lucrativos cujo trabalho é complementar às atividades de sustentabilidade da Costa. Desde a sua criação, em 2014, a Costa Crociere Foundation já realizou um total de 31 projetos ambientais e sociais, beneficiando mais de 125 mil pessoas de mais de 130 nacionalidades diferentes.


0 visualização0 comentário
bottom of page